terça-feira, 12 de maio de 2015

Trigueirinhos

Nas ruas passam as gentes apressadas
A cidade não pára e o tempo voa...
Ainda assim cantam despreocupadamente
Os passarinhos...

Nada disso é verdadeiro
Ou será mesmo passageiro?

O Mar não se formou só de amor
Mas de perseverança, sabedoria
Aprendizado e evolução.

Se um dia é sim e noutro não...
Onde botar o sentimento?
Como entregar o coração?

Avoa meu passarinho
Leva longe essa canção
Cala meu pensamento
Faz sussurrar a intuição.

Danieli de Castro


2 comentários:

Anônimo disse...

Uma poesia viva é muito mais do que uma poesia escrita, as duas tem seu valor, mas prefiro a poesia viva
Francisco.

DANIELI DE CASTRO disse...

Acho que a poesia é o espírito que passa por todas as coisas e as deixam mais belas, mais inteligíveis, mais palpáveis, até mesmo mais distante. É uma comunicação cheia de melindres, mas também de belezas, de acintes, certezas e reticências... Assim como a vida, quando temos olhos para ver... A poesia é a minha alma... é a minha vida... Gosto de ver suas impressões por aqui, Francisco! Volte volte sempre!!! heheheheheheheh! Cheiroo!!