terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Pierrot desiludido...


Tragédia amorosa

Faz tempo que não
me acorda
um poema...

tempos secos
de humores ácidos
críticas e
falta de autoconhecimento.

Um lamento
o eu-lírico
Pierrot desiludido

Nesta faina diária
Um sorriso aberto
encontrar?

Um dia...
Quem sabe?

Do outro lado da casa
Adormeceu um Arlequim
Danado!

Tomou Colombina das
Mãos de seu amado
E com ela saiu a bailar!

Confetes, cores,
Sons, ritmos,
danças... amores.

Afinal o universo
a gente carrega
dentro do coração
da gente.

Dorme, Pierrot
Amanhã será um novo dia.
Acredite.

Danieli de Castro