quarta-feira, 17 de abril de 2019


Mineirinha

De que que adianta
ter goiabada cascão
Se não tem queijo?

De que adianta esta minha
boca falando sozinha
Sem teu beijo?

Rimas e risos
Luzes acesas
Já te falei que tô ficando

Apaixonado cocê?

E quando ela ri, menino
Só cê venu...

É um mulherão
com sorriso de menininha,
Mas, o melhor de tudo

É que ela é mineirinha.
Danieli Casimani

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Mostra de Cinema em Tiradentes - MG


A noite não adormece nos olhos das mulheres

 Em memória de Beatriz nascimento 

A noite não adormece 
nos olhos das mulheres
a lua fêmea, semelhante nossa,
em vigília atenta vigia a 
nossa memória.

A noite não adormece
nos olhos das mulheres
há mais olhos que sono
onde lágrimas suspensas
virgulam o lapso
de nossas molhadas lembranças

A noite não adormece
nos olhos das mulheres
vaginas abertas
retêm e expulsam a vida donde Ainás, Nzingas, Ngambeles
e outras meninas luas
afastam delas e de nós
os nossos cálices de lágrimas.

A noite não adormece
jamais nos olhos das fêmeas
pois do nosso sangue-mulher
do nosso líquido lembradiço
em cada gota que jorra
um fio invisível e tônico
pacientemente cose a rede de nossa milenar resistênciapabx virtual

Conceição Evaristo 


sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Caminhos

@tarotastrologicodcasimani

Estrela de cinco pontas

Enquanto eu tentava me adequar
Ao velho o mundo
Tudo mudou

E quando estava me adaptando
Ao mundo novo
Ele retrocedeu...

Nestes transcursos do mundo
Descubro um ser que sou eu
Acender a estrela nas cinco pontas

Foi o que me transcendeu. 


Danieli Casimani 

domingo, 21 de outubro de 2018

Ensaio Oyá e o Sagrado Feminino

@danielicasimani

Os ventos

Oyá soprou os ventos
do novo
Na face negra da mulher

Que sonha...

Despertou sorridente
Vida entre lençóis
Devagar ela caminha

Poses, fatos e fotos.

A chuva vinha
Uma chuvinha
Ventos em tese

Enternecendo de leve
A saia da moça
Que sorri

E agradece
por mais
um dia.

Danieli Casimani

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Saudades

Quero começar...
Mas,
Por enquanto...

Ainda há devastações
aqui.

Ninguém vê
Ninguém nunca vê
O que é mais importante...

Falar a verdade
é um ato
inconveniente...

Mentir é mais decente.

Eu que já tive um pai
Eu que tenho uma mãe
E sinto saudades da minha vó.

Se ela estivesse aqui diria:

-Ah, então você não é minha neta,
porque eu não tenho medo de nada.

Ah, vó... me empresta um pouco da
tua coragem...
Porque ainda há devastações aqui...

Danieli Casimani


sexta-feira, 21 de abril de 2017

A duração do dia


Tão bom aqui

Me escondo no porão
para melhor aproveitar o dia
e seu plantel de cigarras.
Entrei aqui pra rezar,
agradecer a Deus este conforto gigante.
Meu corpo velho descansa regalado,
tenho sono e posso dormir,
tenho comido e bebido sem pagar.
O dia lá fora é quente,
a água na bilha é fresca,
acredito que sugestiono elétrons.
Eu só quero saber do microcosmo,
o de tanta realidade que nem há.
Na partícula visível da poeira
em onda invisível dança e luz.
Ao cheiro de café minhas narinas vibram,
alguém vai me chamar.
Responderei amorosa,
refeita de sono bom.
Fora que alguém me ama,
eu nada sei de mim.

Adélia Prado


segunda-feira, 10 de abril de 2017


A Ilha das Sereias

Quando os anfitriões, seus bons amigos,
já tarde, ao retornar, no fim do dia,
indagavam das provas e dos perigos
por que passara, ele não sabia

como alertá-los , que palavra rude
ele usaria para reviver,
no mar que o azul reveste de quietude,
o dourado das ilhas do prazer

cuja visão faz com que até o perigo
mude de forma: não mais no castigo
e no furor do vento costumeiros;
no silêncio ele atinge os marinheiros,

que sabem que nos pélagos extremos
Daquelas ilhas de ouro acha-se o canto;
que eles, às cegas, se agarram aos remos,
sitiados pelo encanto

do silêncio, como se ele ocupasse
todo o espaço que existe
e a sua outra face
fosse esse canto a que ninguém resiste.

Rainer Maria Rilke