sábado, 22 de dezembro de 2012

Amália e o vento

O vento acaricia as folhas intensamente verdes das árvores habitantes daquela rua larga, por onde ela passa.
Amália para e observa uma casa branca, grande e quadrada. Ela apenas pensa o que encontraria caso entrasse ali. Chove. Chuva fina ainda. Os raios alcançam as extremidades do céu. Um trovão exibe-se luminoso, o clarão se espalha e uma árvore é atingida.
Ela observa aquele espetáculo natural, sentindo as batidas do seu coração. Não sente-se nervosa, nem amedrontada. Grata, apenas.
Parte da árvore cai em cima da casa branca e quebra uma parte do telhado. O vento canta no ouvido da Amália. Uma cantiga de passagem...
Ela, a mulher, segue viagem.

Danieli de Castro

2 comentários:

C E N A 7 disse...

Que lindo! :)

DANIELI DE CASTRO disse...

Obrigada! Valeu por passar por aqui! bjinhos